quinta-feira, setembro 23, 2010

Confusa

Estava tudo tão certo antes de você surgir como um relâmpago, reacendendo sentimentos extintos a muito tempo. Acho que nunca vou conseguir viver uma vida normal enquanto estiver por perto. Por que não fiz escolhas com o coração, e sim com a razão. Deixar falar mais alto um desejo que pode ser passageiro poderia arruinar muitas vidas, muitas pessoas envolvidas em uma só história. Eu queria poder fugir para bem longe com você onde não haveria pessoas prestes a dar suas opiniões, só eu e você. Mas quanto mais tento fugir, mais presa eu fico. É algo inexplicável, a maneira com que as coisas ocorrem. As escolhas são demasiadamente complicadas.
 O que posso fazer? Quando acho que te exorcizei da minha vida e você ainda está lá, inexplicavelmente tentador esperando por uma fraqueza minha pra me levar embora com você quando tenho um mundo cheio de correntes me puxando de volta? Eu quero sair, mas eu não posso. Eu quero ser sua, mas eu não posso. Eu quero gritar, e pelo ao menos ao grito eu tenho direito. Então eu grito com todas as minhas forças, e seu nome é o que sai da minha boca. Alto, forte e claro.
E, de alguma forma eu sei, que esta tempestade vai passar, e então, eu fugirei com você. E me esconderei onde ninguém poderá me encontrar: seu coração.
 Amanda Souza